Harmony of the Seas

Conheça o Harmony of the Seas®, pertencente à premiada classe Oasis.

Leia mais

10 destinos para voar de balão

Dicas para uma viagem tranquila!

O que há de mais romântico nas Maldivas

No Comments
 1/7 – Maldivas mais românticas

Destino que está sempre entre os mais desejados para a lua de mel e comemoração de datas marcantes, as Maldivas jamais saem de moda. As águas claras e cristalinas das suas mais de mil ilhas – a maioria praticamente deserta – são um convite a momentos de privacidade, seja à beira-mar ou mesmo em mergulhos para apreciar a rica vida marinha. Mas, além das atividades aquáticas, os hotéis das ilhas dedicam atenção exclusiva aos casais e preparam experiências surpreendentes.

 

 

 

 

 2/7 – Assistir a um filme com os pés na areia

Six Senses Laamu (Laamu Atoll)
Como o melhor a fazer nas Maldivas é aproveitar a vida ao ar livre, até mesmo um programa como assistir a um filme pode ser desfrutado a céu aberto. No Six Senses Laamu, os longa-metragens são exibidos no “Jungle Cinema”, em meio a uma vegeção exuberante, com direito à pipoca e champanhe.

 

 

 

 

 

 3/7 – Jantar embaixo d’água

Anantara Kihavah (Kihavah Huravalhi Island)
No Anantara Kihavah, os casais em lua de mel recebem atenção especial e têm muita natureza ao redor para aproveitar. Mas um dos espaços mais supreendentes do hotel,  e que também dá aquele toque romântico, é o restaurante subaquático que possibilita refeições na companhia de peixes multicoloridos.

 

 

 

 

 

 4/7 – Relaxar numa faixa de areia “particular”

Four Seasons Landaa Giraavaru (Baa Atol)
Localizado em Baa Atoll – a única reserva natural das Maldivas declarada Reserva da Biosfera Mundial pela Unesco –, o Four Seasons Landaa Giraavaru está Situado em meio a algumas das mais idílicas praias do continente. Os casais encontram seu “paraíso particular” em bancos de areias isolados, onde o hotel organiza piqueniques e até mesmo jantares.

 

 

 

 

 

 5/7 – Navegar durante o pôr do sol

Anantara Dhigu Resort Maldives (South Male Atoll)
Ao cair da tarde, quando as águas do Índico assumem tons ainda mais belos, observar o pôr do sol nas Maldivas é um programa mais do que recomendado. O Anantara Dhigu faz desse um momento ainda mais romântico durante um cruzeiro silencioso a bordo de um dhoni, um veleiro típico da região.

 

 

 

 

 

 6/7 – Desfrutar de momentos de tranquilidade na villa

Taj Exotica Resort & Spa (South Malé Atoll)
O Taj Exotica está instalado no meio de uma imensa lagoa cristalina, com villas construídas sobre as águas. Cenário mais romântico, impossível! Depois de um dia de atividades, assistir ao pôr do sol ou apenas relaxar na villa com piscina particular também não é nada mal…

 

 

 

 

 

 7 /7 – Jantar em uma noite estrelada

Huvafen Fushi Maldives (North Malé Atoll​)
Um cenário incrível para um jantar romântico: na piscina do hotel Huvafen Fushi, que durante a noite é iluminada com luzes de fibra óptica e reflete o céu das Maldivas…

Categories: Dicas

Safáris incomuns para fazer na África

No Comments

Os típicos gorilas dos safáris em Uganda

Safári em Botsuana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um safári é sempre garantia de momentos marcantes. Avistar os grandes animais selvagens, escutar o som poderoso das manadas percorrendo as savanas ou testemunhar uma cena de carinho entre uma leoa e seus filhotes são experiências que fascinam. Se os safáris convencionais, em veículos 4×4, já nos deixam impressionados, em destinos como Namíbia, Tanzânia e Uganda, entre outros, novas formas de ver de perto a vida selvagem africana no seu habitat natural são experiências empolgantes.

 

Mokoro
Botsuana

A diversidade de ecossistemas dá a Botsuana o título de país mais preservado e selvagem da África. Seguindo pelas áreas alagadas do Okavango – o maior delta interior do planeta –, a bordo de mokoros, as rústicas canoas típicas do país, o safári feito em áreas alagadas é uma das vivências mais genuínas de Botsuana.

Safári a pé
Uganda

A Floresta Impenetrável de Bwindi é um cenário preservado de Uganda, com a maior diversidade natural da África Oriental, e ainda sem grande interferência do homem. Um local perfeito como lar dos fantásticos gorilas-dasmontanhas. O safári a pé, com uma caminhada que pode durar até seis horas, vale o esforço quando até famílias inteiras de gorilas são encontradas.

 

Voo de balão
Namíbia

Um passeio de balão ao amanhecer sobre o Deserto da Namíbia revela a beleza exótica do país: um mar de areias vermelhas, que formam dunas extraordinariamente elevadas. Os safáris estão voltados justamente para a apreciação desses cenários de beleza ainda pouco vista, perfeitos para roteiros fotográficos.

 

Hide safari
Zimbábue

Os destaques de um safári no Zimbábue vão além do simples contato com os animais: há, ainda, paisagens inesquecíveis, tão poéticas quanto dramáticas, que por serem inexploradas e isoladas sugerem um clima de exclusividade sem igual. O hide safari nos deixa ainda mais perto da vida selvagem – camuflados, em regiões de passagem dos animais, conseguimos ficar a poucos metros de elefantes e hipopótamos.

 

Helicóptero
Zâmbia

Na divisa entre Zimbabwe e Zâmbia, uma região de safáris ainda não tão badalada, o Rio Zambezi despenca precipício abaixo para dar vida às fascinantes Victoria Falls. Um voo panorâmico de helicóptero, com duração de 30 minutos, é a oportunidade de ver toda a grandiosidade das cataratas. Programa obrigatório, de tirar o fôlego, tanto para quem já conhece a região quanto para os aventureiros de primeira viagem.

 

Solicite um orçamento:

MICHELLE TOUR NATAL
Rua Rui Barbosa, nº 911 – Tirol – Natal/RN – CEP 59015-290
Telefones: (084) 4009-0677
Plantão 24 horas para Emergências: (084) 99407-7110
www.michelletour.com.br

Categories: Dicas

Tendências em Cruzeiros para 2018

No Comments

Na Patagônia, os cenários incomuns são recomendados para viagens em família

Os cruzeiros fluviais navegam pelos rios europeus, com paradas nas mais charmosas cidades

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pensando em cruzar os mares a bordo de um cruzeiro em 2018?

Indicamos os roteiros que serão tendências para viagens em família, para casais apaixonados e de expedições para quem não dispensa uma boa dose de aventura. Confira:

 

Para viagens em família
Amazônia, Patagônia, Alasca e Galápagos

Ao velejar pela região amazônica os adultos e os pequenos entram em contato com atividades como pesca, visitas a vilarejos remotos e caminhadas na selva, que podem ser realizadas tanto na porção brasileira da floresta com a Untamed Amazon e a Amazon Cruises com a escuna MV Desafio, quanto na peruana com a Aqua Expeditions com o navio Aria Amazon. No Equador, não há forma melhor de conhecer a riqueza natural das ilhas de Galápagos do que a bordo de um cruzeiro. Os roteiros são realizados pela Silversea Expeditions com navio Silver Galápagos, Quasar Expeditions com os iates Grace e Evolution, e Metropolitan-Touring com os navios Santa Cruz II, La Pinta e Isabela II.

Já na Patagônia a navegação revela paisagens caprichosamente esculpidas pela natureza em glaciares, fiordes e neves eternas. Suas surpresas são perfeitas também para famílias, garantindo diversão e a observação de uma fauna única, composta por pinguins e leões marinhos. É possível fazer a viagem com a Australis com os navios Stella Australis e Ventus Australis. No Alasca, navegando pelas águas do Pacífico, todos se surpreendem com as impressionantes geleiras, baleias, pinguins e ursos. Pela noite, o adormecer é tranquilo, com vista para um céu que, de tão estrelado, se torna indescritível. Há opções da Silversea Cruises com o navio Silver Shadow, Regent Cruises com o navio Mariner e Oceania Cruises, com o navio Regatta.

Para a lua de mel
Polinésia Francesa, Croácia, Caribe e Canais Europeus

Aos apaixonados, a Polinésia Francesa oferece navegação pelas ilhas Bora Bora e Tahaa em iates super exclusivos da companhia Haumana, que aportam nas ilhas com águas cristalinas, vegetação exuberante e contato com a cultura local. Outra ótima opção é a Croácia com pequenos iates que visitam suas ilhas banhadas pelo Mar Adriático, que abrigam Patrimônios da Humanidade. Para conhecer os destinos em detalhes, com experiências exclusivas, a Crystal Esprit e o Seadream Yacht Club são navios perfeitos.

Para os recém-casados que sonham com o Caribe com suas praias de areias brancas emolduradas por águas azul-turquesa, a viagem reserva a descoberta de novas culturas e gastronomia distintas em cada ilha. A experiência romântica está disponível através do Seadream Yacht Club. Na Europa, o Cruzeiro das Tulipas se destaca com a navegação pelos canais de Amsterdam e Bélgica na primavera quando as tulipas florescem por todo país.  A Amawaterways oferece a viagem, que será realizada com o novo navio a ser inaugurado em 2018, AmaLea, além do AmaKristina e AmaPrima.

 

Para explorar em expedições
Antártica, Islândia, Groenlândia e Alasca

Para os mais aventureiros, a Antártida é superlativa. Geleiras flutuam como obras de arte, o céu reflete tonalidades que variam do rosa ao azul, baleias, pinguins, focas aparecem de forma espontânea. A Silversea Expeditions realiza a viagem com o navio Silver Cloud Expedition e com o navio Silver Explorer, e a Ponant com os navios Le Boreal, Le Soleal e Le Lyrial. No polo oposto, a Islândia, terra da aurora boreal, revela cenários que lembram as imagens que conhecemos da lua. A Ponant opera na ilha com o novíssimo navio Le Laperousse.

Na vizinha Groenlândia, é possível admirar a fauna local, passar pelos fiordes profundos e os icebergs azuis com acompanhamento de equipe especializada composta por antropólogos, ornitólogos, geólogos e especialistas em mamíferos marinhos. Quem realiza a viagem também é a Ponant com os navios Le Boreal e Le Soleal. Já no Alasca, um cruzeiro de expedição é daquelas experiências que proporcionam a chance de explorar este verdadeiro paraíso gelado, num equilíbrio perfeito entre sofisticação, conforto, aventura e novas descobertas. A Un-Cruise Adventures leva para essa experiência com o iate Safari Explorer.

 

 

 

 

 

Solicite um orçamento:
MICHELLE TOUR NATAL
Rua Rui Barbosa, nº 911 – Tirol – Natal/RN – CEP 59015-290
Telefones: (084) 4009-0677
Plantão 24 horas para Emergências: (084) 99407-7110
www.michelletour.com.br

Categories: Cruzeiros Tags: Tags:,

10 motivos para visitar Foz do Iguaçu

No Comments

Abrigando uma importante reserva natural e uma das mais belas atrações naturais do mundo, as Cataratas do Iguaçu, a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, é o destino certo para quem procura por dias tranquilos em meio à natureza.

Com temperatura amena e localização na tríplice fronteira com a Argentina e o Paraguai, o destino atrai milhares de turistas anualmente. São visitantes de todas as partes do Brasil e do mundo, que viajam para o destino interessados em suas áreas verdes e repletas de cachoeiras, e também para aquelas comprinhas.

Motivos não faltam para você visitar o destino. Duvida? Então dá uma olhada:

1. Marco das três fronteiras

Inaugurado em 1903, o Marco das Três Fronteiras é um dos principais pontos turísticos e históricos da cidade. No encontro dos rios Iguaçu e Paraná, três grandes nações da América do Sul também se encontram: Argentina, Paraguai e Brasil. São três estruturas, uma em cada país, que marcam o ponto de fronteira entre eles. Além de fotos incríveis ao lado das três bandeiras, você ainda pode aproveitar para comprar lembrancinhas.

2. Compras

Já que Foz está na tríplice fronteira, por que não dar uma esticadinha até o país vizinho e se jogar nas compras? Se quiser ir para o lado paraguaio, basta atravessar a famosa Ponte da Amizade e ir até Ciudad Del Este. No lado argentino está o famoso Duty Free Shopping. Aceitando real, dólar ou peso argentino, a loja praticamente dobrou de tamanho nos últimos anos. E é ideal para quem procura produtos importados livres de impostos. Clique aqui para saber mais.

3. Ponte Internacional da Amizade

Ligando a cidade de Foz do Iguaçu a Ciudad Del Este, no Paraguai, a ponte, que corta o rio Paraná, foi inaugurada em 1965, após a assinatura do acordo entre os dois países. Com pouco mais de 500 metros, é um dos lugares mais movimentados da região, principalmente por aqueles que querem fazer compras do lado paraguaio.

4. Parque Nacional do Iguaçu

A pouco mais de 17 quilômetros do centro de Foz do Iguaçu, este grandioso parque é famoso por abrigar umas das sete maravilhas da natureza: as Cataratas do Iguaçu. Com terras no Brasil e na Argentina, o local abrange 14 municípios e foi declarado Patrimônio da Humanidade em 1986.

Com 250 mil hectares de floresta e inaugurado em 1939, durante o Governo de Getúlio Vargas, o parque protege toda a bacia do Rio Floriano e uma rica fauna e flora. É a casa de mais de 500 espécies entre mamíferos, aves, répteis e anfíbios e mais de dois mil tipos de plantas. Com tanta beleza reunida, fica difícil não se encantar.

5. Cataratas

São cerca de 275 quedas d’água que podem chegar a 80 metros de altura. As cataratas despejam 1,5 milhões de litros de água no Rio Iguaçu por segundo, que podem mais do que ser observadas da ponte: existe um passeio de barco incrível por dentro das cataratas!

Seja do lado brasileiro ou do lado argentino, as paisagens são de tirar o fôlego. Para curtir ao máximo cada um dos lados, reserve, pelo menos, um dia para cada um. Confira mais aqui. 

6. Parque das Aves

Com mais de mil animais entre 131 espécies diferentes, o Parque das Aves é um passeio que não pode ficar de fora do seu roteiro. São diversas opções de trilhas, num ambiente de mata nativa, que te levam aos viveiros. Alguns são apenas para observação, enquanto em outros, é possível entrar e ter um contato ainda maior e mais direto com as aves. Além disso, o parque ainda conta com espaço para borboletas e répteis. Também tem lanchonete e loja de lembranças. Confira mais aqui.

Dica: o Parque das Aves fica em frente à entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Basta atravessar a rua 😉

7. Usina de Itaipu

Responsável por 17% da energia usada no Brasil, a Hidrelétrica Itaipu Binacional é um passeio para lá de divertido. São oito quilômetros de extensão e 196 metros de altura da barragem até suas turbinas. Completamente incrível! Por lá, você ainda encontrará o Ecomuseu, o planetário e um circuito biológico. Descubra mais aqui!

8. Ecomuseu

Com uma exposição fixa que conta a história da Usina de Itaipu e a história social e ecológica da região, o Ecomuseu é uma experiência bastante educativa. Dividido em módulos que retratam desde a ocupação da região até os projetos de conservação, o museu possui espaços temáticos de água e energia, com cenários fiéis ao passado, totens eletrônicos e um painel com a foto dos mais de quatro mil operários que ajudaram na construção da hidrelétrica.

9. Museu de cera

Dentro do novo complexo Foz do Iguaçu Park Show, o Museu de Cera Dreamland é o lugar ideal para aqueles que querem ficar cara a cara com seus artistas favoritos. São centenas de estátuas espalhadas por 16 salas temáticas. Dentre elas, a do personagem de Star Wars, Mestre Yoda, além do cientista Albert Einstein, do Papa Francisco, do piloto Ayrton Senna, do rei do pop Michael Jackson, entre muitos outros. É certeza de diversão garantida.

10.  Vale dos dinossauros

 Volte na Era Mesozoica e sinta de perto os temíveis animais que habitaram a terra há milhões de anos. Faça uma caminhada ao ar livre e encontre com 20 espécies de dinossauros em tamanho real. Aproveite, ainda, para descobrir mais curiosidades destes animais enormes! É como estar em um filme de Jurassic Park 🙂

 

Embarque para Foz do Iguaçu e incremente ainda mais a lista de motivos para conhecer esse destino encantador!

 

 

Categories: Destinos Tags: Tags:,

5 restaurantes ao ar livre em Paris

No Comments

GrandCoeur, no bairro Marais. Foto: Divulgação

Auteuil Brasserie. Foto: Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GrandCoeur

Essa brasserie aberta recentemente, no Marais, é uma das melhores na capital francesa: na primavera e no verão, recomendo almoçar ou jantar no pátio de pedras, com bailarinos dançando ao redor – uma das melhoras escolas de dança se encontra no mesmo sobrado. O chef Mauro Colagreco (duas estrelas Michelin) escolheu o brasileiro Rafael Gomes e o siciliano Nino Laspina, cuja cozinha é leve, original e saborosa. Paixão só!
41 rue du Temple. Marais. grandcoeur.paris

LouLou 

Na frente da pirâmide do Louvre, agora símbolo do novo governo francês desde que o presidente Macron foi eleito, o restaurante LouLou tem um terraço extraordinário, com vistas para a torre Eiffel, o jardim das Tuileries e o Louvre.
Decorado pelo badalado arquiteto Joseph Dirand, o restaurante, cujos menus foram desenhados por Jean-Charles de Castelbajac, serve uma cozinha da Riviera Francesa e Italiana, e só fecha às 2h da manhã: um milagre em Paris!
Musée des Arts décoratifs. 107 rue de Rivoli. Paris. loulou-paris.com

Restaurant du Palais Royal 

O Palais Royal é um dos jardins mais secretos, mais calmos e mais bonitos de Paris. Ele fica logo atrás do Louvre e do teatro da Comédie Française. Flores, pássaros, arquitetura parisiense maravilhosa: nem parece que estamos bem no centro da cidade! O restaurante já tem uma estrela no Michelin e serve uma cozinha francesa leve, numa belíssima varanda com mesas cor de creme e guarda-sóis. Um refúgio para insiders.
41, rue de Valois. Paris. restaurantdupalaisroyal.com

Auteuil Brasserie

Os melhores tenistas mundiais estão chegando em Paris e a final do Roland-Garros no dia 11 de Junho promete ser disputadíssima! Pertinho das quadras de tênis, acaba de abrir a Auteuil Brasserie, um lugar descolado, com um rooftop super legal, comida italiana, churrascos, sorvetes artesanais deliciosos, coquetéis detox ou alcoólicos… Com certeza um dos endereços mais trendy de Paris no momento.
78, rue d’Auteuil. Paris. auteuil-brasserie.com

Les Jardins de l’Espadon 

O hotel Ritz Paris foi restaurado e reabriu há menos de um ano, conservando sua história e decoração suntuosa – madeiras douradas, lustres de cristal, carpete azul-real e cortinas de seda. O novíssimo restaurante Les Jardins de l’Espadon já tem uma estrela no Michelin: o chefe Nicolas Sale prepara tudo que a culinária francesa oferece de melhor. Hemingway escrevia com toda razão que Paris é uma festa!
15, place Vendôme. Paris. ritzparis.com

Categories: Sem categoria

10 cidades muradas para desbravar

No Comments
1/10 – Óbidos (Portugal)

Vila medieval e autêntico museu a céu aberto guardado por muralhas, Óbidos oferece, a cada passo, um encontro com os tempos da corte – com suas ruas tortuosas, casarões brancos e janelas cheias de flores.

 

 

 

 

 

 

2/10 – Carcassonne (França)

Localizada no sul da França, Carcassonne é a maior cidade murada da Europa, e foi defendida durante a Idade Média por um imponente conjunto de fortificações. Seu interior combina o traçado irregular de ruas estreitas medievais com um castelo com 59 torres. Suas fortalezas foram construídas entre os séculos 9 e 10 para evitar os ataques dos vikings.

 

 

 

 

 

 

3/10 – York (Inglaterra)

Fundada pelos romanos, conquistada pelos anglos, capturada pelos vikings e incorporada ao reino da Inglaterra em 954, York tem quase 2 mil anos de história. Suas muralhas foram erguidas entre os séculos 12 e 14 e é possível admirar a cidade com a vista panorâmica dos muros, que têm espaços abertos para caminhadas.

 

 

 

 

 

 

4/10 – Dubrovnik (Croácia)

Dubrovnik é rodeada de muralhas e fortificações, que dividem a cidade de encantos medievais das praias paradisíacas. Seus muros são alguns dos mais bem preservados da Europa, com altura que chega aos 25 metros. Construídos entre os séculos 8 e 16, eles sobreviveram a guerras e invasões, conservando Dubrovnik em seu esplendor.

 

 

 

 

 

 

5/5 – Québec (Canadá)

Québec é a única cidade da América do Norte cujo centro histórico é cercado por muralhas. Suas portas merecem destaque, em especial as de Saint-Jean e Saint-Louis, ambas do século 18. No topo de um belo penhasco, com vista para o Rio São Lourenço, as muralhas protegem a Cidade Alta, contribuindo para que Québec fosse designada como Patrimônio Mundial pela Unesco.

 

 

 

 

 

6/10 – Cartagena (Colômbia)

Cartagena foi fundada em 1533 pelos espanhóis, que cuidadosamente a fortificaram com uma muralha de 8 km, para espantar inimigos interessados no rico comércio local. É possível caminhar pelos muros e avistar de cima o mar do Caribe e a parte moderna da cidade.

 

 

 

 

 

 

7/10 – Fez (Marrocos)

Fez é hoje a maior cidade medieval do mundo em pleno funcionamento: com cerca de 950 mil habitantes, foi fundada em 808, tendo sido a capital de Marrocos durante longos períodos. Ela também tem a maior zona urbana do mundo sem carros, com centenas de ruelas estreitas que abrigam souks, mesquitas, curtumes e um movimentado comércio.

 

 

 

 

 

 

8/10 – Cidade Proibida (China)

Localizada no centro antigo de Pequim, a Cidade Proibida serviu como residência do imperador por cinco séculos, ganhando esse nome por restringir o acesso a apenas membros do império. A muralha e os prédios da Cidade Proibida foram construídos levando em conta os preceitos da arte milenar do feng shui.

 

 

 

 

 

 

9/10 – Hué (Vietnã)

A fortaleza de Hué, com mais de 5 km, se estende às margens do majestoso rio Song Huong (Rio dos Perfumes). Com cerca de 340 mil habitantes, a cidade oferece diversas atrações para os visitantes: o mercado de Dong Ba, passeios de barco e bons restaurantes de cozinha típica.

 

 

 

 

 

 

10/10 – Jodhpur (Índia)

Jodhpur foi fundada em 1459 e hoje é um dos destinos turísticos mais famosos do Rajastão. Com belos palácios, templos grandiosos e paisagens desérticas, tem uma muralha que protege suas famosas casas e lojas de fachada azul, proporcionando um visual único.

Categories: Destinos

6 roteiros para serem descobertos em cruzeiro

No Comments
1/6 – Tesouros naturais em Galápagos

No Equador, não há forma melhor de conhecer as ilhas de Galápagos do que a bordo de um cruzeiro. Nas expedições aquáticas e terrestres, os visitantes descobrem tesouros da natureza que não existem em nenhum outro lugar do mundo – e que inspiraram os estudos de Charles Darwin. Quem leva: Silversea. 

 

 

 

 

 

2/6 – Réveillon na África do Sul

A África do Sul já figura entre um dos destinos mais disputados no período do réveillon, e um cruzeiro é a alternativa perfeita para garantir o lugar em um dos países mais vibrantes do continente. Além de navegar por cidades como a Cidade do Cabo, Durban e East London, cruzeiro ainda inclui parada em Moçambique e na Namíbia. Quem leva: Crystal Cruises.

 

 

 

 

 

3/6 – História, belezas naturais e modernidade entre Japão e Filipinas

Uma combinação interessante para quem deseja conhecer a Ásia, o roteiro que percorre Japão e Filipinas une a visita a cidades modernas, vilarejos milenares e paisagens naturais indescritíveis. Quem leva: Silversea.

 

 

 

 

 

 

4/6 – Réveillon na Ásia

Com sua atmosfera de exotismo, o continente asiático sempre proporciona experiências memoráveis e começar um novo lá torna tudo ainda mais especial. Em um roteiro de 20 dias, a parada em países como Shanghai, Vietnã e Tailândia proporcionam um vislumbre na história, modernidade e espiritualidade dos destinos, tornando o cruzeiro ainda mais especial. Quem leva: Regent Seven Seas

 

 

 

 

 

5/6 – Cenários extremos da Islândia

País rico em cultura a história, no extremo norte do planeta, junto Círculo Polar Ártico, a grande ilha possui impressionante diversidade natural. Navegando pelo país, um roteiro alternativo percorre os grandiosos cenários com glaciares, fiordes, vulcões e gêiseres, além de explorar a diversificada fauna local, formada por pássaros, raposas árticas e baleias. Tudo isso sem deixar de lado sua charmosa capital Reykjavik, com os característicos telhados coloridos e a vibrante cena cultural. Quem leva: Ponant.

 

 

 

 

 

6/6 – Paisagens naturais inexploradas na Rússia e no Alasca

No Círculo de fogo do Pacífico, região que compreende uma longínqua Rússia e o Alasca, um cruzeiro de expedição explora ilhas habitadas por riquíssimas fauna e flora. Inseridos em paisagens que inclui geleiras, florestas e vegetação exuberante, ursos, baleiras, orcas e aves marinhas são facilmente avistados durante a navegação. Quem leva: Ponant. 

Categories: Destinos

6 cidades para se apaixonar pela Provence

No Comments
1/6 – Gordes

Vilarejos suspensos, encravados nas montanhas, estão por toda parte na região da Provence. Gordes é tido como um dos mais belos, dominado por um château do século 16. As curvas vielas medievais ficam no alto da montanha e valem à pena serem percorridas a pé, desvendando seus encantos. Gordes é uma das cidades mais visitadas na Provence e, ainda sim, conserva seu charme e tradições.

 

 

 

 

2/6 – Roussilon

Roussillon fica numa localização insólita, no alto das colinas, sobre o maior depósito de ocre do mundo. A paisagem é um dos seus espetáculos principais, com as rochas vermelhas e as casas em tonalidades rosadas.

 

 

 

 

 

 

3/6 – Les Baux-de-Provence

Sabe-se que a região de Les Beaux-de-Provence é habitada desde 6 mil a.C., no período Neolítico. Hoje, a cidadela abandonada no alto de um platô rochoso proporciona bela vista das Alpille, uma pequena cadeia de montanhas rochosas, características da Provence. Imperdível é a visita ao Carrières de Lumières, uma espécie de museu na caverna com apresentações multimídia.

 

 

 

 

 4/6 – Gigondas

A cidade é super pequena, conhecida principalmente por seus vinhedos. E o cenário também é encantador. Gigondas está no topo de uma colina, e abriga uma charmosa igreja do século 11, ruínas de um castelo e 20 esculturas produzidas por diferentes artistas.

 

 

 

 

 

 5/6 – L´Isle sur la Sorgue

Mais conhecida como a Veneza da Provence, Sorgue é rodeada pelo rio de nome homônimo, que lhe confere um charme especial. Mas cidade é especialmente famosa por seus mercados e feirinhas de antiguidades, além dos charmosos cafés e restaurantes à beira do rio. Sorgue vale a visita, e a melhor maneira para explorá-la é a pé ou de bike.

 

 

 

 

 

6/6 – Simiane la Rotonde

Em meio à Rota da Lavanda, no topo de uma colina, o vilarejo Simiane-la-Rotonde leva esse nome devido à rotunda construída no final do século 12 para proteger a fortificação de seu castelo. É um dos mais notáveis exemplos da antiga arte romântica. A cidadezinha destaca-se também por ser a principal região produtora do óleo e essência de lavanda da França.

Categories: Destinos

Revista Britânica Restaurant divulga a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo

No Comments
Os 50 melhores restaurantes do mundo

Eleven Madison Park. Foto: divulgação

Gaggan. Foto: Allwecandid

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A edição 2017 dos World’s 50 Best Restaurants, premiação realizada pela revista britânica Restaurant, em abril, em Melbourne, trouxe uma grande surpresa. O nova-iorquino Eleven Madison Park foi eleito o melhor restaurante do mundo, quebrando uma sequência dos restaurantes europeus que estavam no topo do ranking desde 2005. Na lista dos 10 melhores restaurantes, outro destaque foi o tailandês Gaggan, que subiu 16 posições, indo direto para a 7ª. Único restaurante brasileiro na lista, o D.O.M, de Alex Atala saiu da 11ª para a 16ª.

Sentiu falta de alguém? O dinamarquês Noma, que por sete anos esteve entre os primeiros lugares da lista, está fechado desde 2016 e em breve reabrirá em um novo endereço e com novo conceito. Quem sabe ele não aparece em 2018? Enquanto isso, conheça o top 10 dos 50 melhores restaurantes do mundo.

 

 

1. Eleven Madison Park (Nova York, Estados Unidos)
Comandado pelo chef Daniel Humm, o Eleven eleva a cozinha nova-iorquinia a outro patamar mesclando a ela a moderna gastronomia europeia  . Ambiente elegante, excelente atendimento e ótima carta de vinhos são os destaques. elevenmadisonpark.com.

 

2. Osteria Francescana (Modena, Itália)
Comandada pelo chef Massimo Bottura, a Osteria Francescana serve pratos que têm como base a tradicional cozinha italiana, elaborados com os melhores ingredientes locais – a apresentação, no entanto, é inventiva e brinca com diferentes formas, sabores e texturas.
osteriafrancescana.it

 

3. El Celler de Can Roca (Girona, Espanha)
O El Celler de Can Rocca é dirigido pelos irmãos Joan, Josep e Jordi, que juntos se dividem na cozinha e harmonização dos pratos. A tônica do restaurante é a técnica acadêmica – todos os anos o menu se renova e os chefs estabelecem uma nova linha de pesquisa específica. Ingredientes típicos da cozinha catalã dão vida a receitas inventivas, proporcionando uma experiência inigualável. cellercanroca.com

 

4. Mirazur (Nice, França)
Sob o comando do argentino Mauro Colagrego, o Mirazur exibe a moderna gastronomia francesa e pratos mediterrâneos preparados com os mais frescos ingredientes, grande parte proveniente da horta do restaurante. mirazur.fr

 

5. Central (Lima, Peru)
Comandado pelo jovem e talentoso chef Virgilio Martinez, o Central fica em uma rua escondida do charmoso bairro de Miraflores. O salão banhado com muita luz natural tem vista para a cozinha aberta, de onde saem pratos autênticos da cozinha peruana elaborados com ingredientes amazônicos e indígenas. O menu degustação – com oito pratos preparados à perfeição – é a melhor pedida da casa.
centralrestaurante.com.pe.

6. Asador Etxebarri (Bilbao, Espanha) 
Rústico na medida certa, o r Asador Etxebarri ainda preserva antigas técnicas de grelhar carnes e utiliza lenha cuidadosamente selecionada de diferentes árvores. O ideal é sentar-se e pedir diversas das pequenas porções do cardápio e experimentar um pouco de tudo, já que o menu é sazonal e bastante fresco. Os petiscos e os pratos principais, como o chorizo e a txuleta, são ótimos, mas a visita também vale para provar o sorvete próprio do lugar, incrível.
asadoretxebarri.com 

 

7. Gaggan (Bangkok, Tailândia)
Na lista dos melhores restaurantes da Ásia, o Gaggan privilegia cozinha indiana, mas com interpretações modernas. Segundo o chef Gaggan, há uma forte tentativa de atravessar a lacuna entre a cozinha oriental e a ocidental. eatatgaggan.com

 

8. Maido By Mitsuharu (Lima, Peru)
O Maido faz uma combinação perfeita da culinária japonesa tradicional e da cozinha “nikkei”. O consagrado chef Mitsuharu Tsumura é o proprietário e comanda a cozinha, que serve desde sushis e sashimis frescos e irretocáveis até pratos ousados, que incorporam ingredientes peruanos tratados com a polida técnica japonesa.
www.maido.pe

 

9. Mugaritz (San Sebastian, Espanha)
O Mugaritz reflete a cozinha basca e proporciona a melhor experiência em um menu dividido em 20 cursos. A técnica do chef Andoni Luis Aduriz é reacender as emoções de seus visitantes a partir de pratos que se relacionam com a história da Espanha e, por consequência, com a das pessoas. Como resultado, além de satisfazer o paladar, o chef ainda gera um carisma sem igual.
www.mugaritz.com

 

10. Steirereck (Viena, Áustria)   
Sob o comando do chef Heinz Reitbauer, o Steirereck serve o melhor da cozinha contemporânea austríaca, privilegiando os ingredientes locais. A estrutura no restaurante colabora para a experiência: instalado em um cubo de vidro, localiza-seno parque central a cidade, com vista para o Rio Viena.
www.steirereck.at

11. Blue Hill at Stone Barns (Pocantico Hills, Estados Unidos)
12. Arpege (Paris, França)
13. Alain Ducasse au Plaza Athénée (Paris, França)
14. Restaurant Andre (Cingapura)
15. Piazza Duomo (Alba, Itália)
16. D.O.M (São Paulo, Brasil)
17. Le Bernardin (Nova York, Estados Unidos)
18. Narisawa (Tóquio, Japão)
19. Geranium (Copenhagen, Dinamarca)
20. Pujol (Cidade do México, México)
21. Alinea (Chicago, Estados Unidos)
22. Quintonil (Cidade do México, México)
23. White Rabbit (Moscou, Rússia)
24. Amber (Hong Kong)
25. Tickets (Barcelona, Espanha)
26. The Clove Club (Londres, Inglaterra)
27. The Ledbury London (Londres, Inglaterra)
28. Nahm (Bangkok, Tailândia)
29. Le Calandre (Rubano, Itália)
30. Arzak (San Sebastián, Espanha)
31. Alléno Paris au Pavillon Ledoyen (Paris, França)
32. Attica (Melbourne, Austrália)
33. Astrid y Gaston (Lima, Peru)
34. De Librije (Zwolle, Holanda)
35. Septime (Paris, França)
36. Dinner by Heston Blumenthal (Londres, Inglaterra)
37. Saison (São Francisco, Estados Unidos)
38. Azurmendi (Larrabetzu, Espanha)
39. Relae (Copenhagen, Dinamarca)
40. Cosme (Nova York, Estados Unidos)
41. Ultraviolet by Paul Pairet (Xangai, China)
42. Boragó (Santiago, Chile)
43. Reale (Castel di Sangro, Itália)
44. Brae (Birregurra, Austrália)
45. Den (Tóquio. Japão)
46. L’Astrance (Paris, França)
47. Vendôme (Bergisch Gladbach, Alemanha)
48. Restaurant Tim Raue (Berlim, Alemanha)
49. Tegui (Buenos Aires, Argentina)
50. Hof Van Cleeve (Kruishoutem, Bélgica)

 

Osteria Francescana. Foto: divulgação

Categories: Sem categoria

As regiões vinícolas mais charmosas do mundo

No Comments

O terroir da África do Sul é propício para o desenvolvimento da uva Pinotage.

A bela geografia que margeia o Rio Douro, em Portugal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Das bebidas, esta é uma das mais seculares. Envolta tanto pela mitologia, quanto pela religião, também é conhecida como a bebida de Baco. Atravessando tradições e costumes, cada taça de vinho guarda uma história e traz sabores únicos que remontam ao terroir específico de onde a uva foi cultivada, afinal, a mesma uva pode ser plantada mundo afora, mas as suas características serão completamente diferentes.

Tomar vinho é um ato social, seja ele Malbec, Merlot, Cabernet ou Pinotage. Uma garrafa da bebida pode proporcionar uma viagem às vinícolas mais modernas ou às mais tradicionais, na América ou na Europa. Selecionamos algumas das principais para você visitar na próxima viagem.

Bordeaux (França)

Capital da região da Aquitaine, na França, Bordeaux reúne algumas das vinícolas mais importantes do país. Margaux, Médoc, Sauternes e Saint-Emillion refletem os sabores dos vinhos franceses, agradando até os paladares mais experientes. Para degustar e entender mais sobre a bebida, o Musée du Vin é parada obrigatória para os apaixonados por vinho.

 

Toscana (Itália)

Dona de uma das regiões mais belas da Itália, a Toscana é ideal para quem procura natureza, cultura e uma experiência gastronômica inesquecível. Em meio a cenários arrebatadores, vinícolas surgem com um charme a mais na região e degustar o Chianti, seu vinho mais famoso, é uma ótima pedida.

 

Vale de Colchagua (Chile)

Uma das regiões mais prestigiadas do mundo, é reconhecida pela sua produção vitivinícola no Chile e de fácil acesso a Santiago, o Vale de Colchagua é um agradável convite para viagens de carro. Excelente opção para combinar com a capital, encantar-se com o charme das vinícolas e fazer passeios com direito a degustar seus vinhos.

 

Mendoza (Argentina)

Responsável por 70% de sua produção nacional, Mendoza é a capital argentina dos vinhos. Aos pés da Cordilheira dos Andes, a região reúne elementos que justificam a qualidade de seus vinhos famosos no mundo todo, como altitude moderada, irrigação pela água do degelo andino, dias ensolarados e noites frias.

África do Sul

Os vinhedos florescem aos pés de grandes montanhas da região do Cabo. A uva pinotage é a grande protagonista da África do Sul, que tem o clima favorecido pelas brisas úmidas do Atlântico e do Índico. Na região vinícola, uma visita a Stellenbosch, Franschhoek e Paarl é obrigatória para conhecer os sabores africanos guiado pelos próprios produtores, que abrem suas propriedades para mostrar os cultivos da região.

Napa Valley (Estados Unidos)

Cercada por colinas enfeitadas com algumas das uvas mais importantes para a produção dos vinhos, Napa Valley, nos Estados Unidos, concentra grandes vinícolas rodeadas por cidades charmosas. A região ainda conta com alguns restaurantes estrelados pelo Guia Michelin e muitos vinhos premiados internacionalmente.

Região do Douro (Portugal)

Às margens do Rio Douro, como o próprio nome sugere, dezenas de vinícolas surgem quase como uma pintura. Ricas em assimetrias e contrastes, seus solos áridos e rochosos dão origem ao célebre Vinho do Porto. Passear pela região pede uma taça e olhos atentos para descobrir o que há de mais charmoso, como as vilas e aldeias ali localizadas.

Nova Zelândia 

Conhecida por suas atividades de aventura, a Nova Zelândia também figura entre um dos grandes produtores de vinho. Uvas como Pinot Noir e Cabernet se adaptaram muito bem ao terroir neozelandês, dando origem a vinhos marcantes e de personalidade forte. Uma visita à uma das 530 vinícolas é um passeio obrigatório para os amantes da bebida.

Castela e Leão (Espanha)

Maior região em extensão territorial da Espanha, é famosa, principalmente, por seus vinhos tintos. Formada por grandes áreas como Ribera del Duero, Toro, Bierzo, Cigales e Rueda, é fácil entender seu talento para a produção da bebida. As grandes variações climáticas são fator predominante para vinhos.

Categories: Destinos